Inauguramos o nosso Blog pela porta de entrada, ou melhor dizendo, pelo hall de entrada!
Apartamento, moradia, penthouse ou até um palácio: independentemente da tipologia, a importância de um Hall de Entrada não deve ser subestimada. Quer queiramos quer não, é o primeiro espaço que percorremos ao entrar em casa e o último ao sair. Já para os nossos convidados, apresenta-se como o “rosto” da casa, e onde logo à partida queremos que se sintam bem-vindos!

Da estética à multifuncionalidade

Um hall de entrada pode assumir diferentes formatos e funcionalidades, e à semelhança de outras áreas “neutras” da casa, é o que se pretende do espaço que lhe dará o aspeto final.

É importante salientar que a área (m2) disponível não tem de ditar um certo aspeto final, ou seja, mesmo que tenhamos um hall de entrada mínimo, isso não significa que temos de simplificar a sua utilidade ou estética.

Vejamos abaixo três exemplos para o mesmo espaço:

Espelho meu, quadro meu...

Enquadrados perfeitamente acima das consolas podemos encontrar (geralmente) uma destas duas peças, sendo que a que mais se observa é a opção de espelho. Quer seja um espelho simples, redondo, com ou sem moldura, esta é sem dúvida a peça mais utilizada, não só pelo caracter estético mas também pela conveniência ou não fosse proveitoso para um último ajeitar do cabelo, colocar o batom ou apenas sorrir para si mesmo antes de sair de casa.
Um quadro abstrato, figurativo, com paisagens ou até mesmo posters com uma mensagem inspiradora estão a ganhar espaço nos halls de entrada, preenchendo a divisão com vida. Para além de colocada na parede, esta peça também resulta muito bem quando pousada na consola.
As opções de consolas que lhe apresentamos estão disponíveis nos nossos catálogos e, na nossa loja, pode consultar as amostras dos vários acabamentos.

Entrada sem consola não é entrada...?

Tal como na vida, na Decoração também não há verdades absolutas, e uma entrada sem consola continua a ser válida. Mais do que puxar pela imaginação é necessário adaptar o espaço às nossas necessidades.

Deixamos aqui alguns exemplos que pode adquirir na nossa loja:
Em jeito de resumo percebemos então que este espaço não deve ser descurado na sua apresentação e que o tamanho não deve limitar de todo a imaginação. Através dos exemplos apresentados torna-se claro também de que o hall deve servir as nossas necessidades sendo que podemos aliar a funcionalidade à estética na perfeição!
 
E o seu hall de entrada, está a precisar da nossa ajuda?

Andreia Duarte

Equipa Fragmentos